217Visualizações |  Like

Em agosto, Teatro Municipal recebe concertos da Orquestra Philarmônica de Uberlândia – imperdível – E O HBLOG TE CONTA TUDO

Séries ‘Terra’ e ‘Ar’ serão apresentadas pelos músicos da OPHU

No próximo mês, a Orquestra Philarmônica de Uberlândia (OPHU) realiza dois concertos no Teatro Municipal de Uberlândia. Na quinta-feira (10), a série ‘Terra’ será apresentada ao público e na sexta-feira (11), a série ‘Ar’. Os espetáculos acontecerão a partir das 20h e os ingressos serão vendidos pela internet (clique aqui).

Os concertos temáticos fazem parte da série ‘Quatro Elementos’ e contam com interpretações da orquestra para clássicos de compositores consagrados como Johann Sebastian Bach, Tchaykovisky, Albinoni e Mozart. O repertório dos espetáculos também visitam a música contemporânea brasileira de Villa Lobos, Caetano Veloso, Gonzagão e Chico Buarque. Os concertos contarão ainda com a participação especial de bailarinos da ‘Ícaro Cia de Dança’ (dando vida a trechos de ‘Bach Barock Brasilien’) e com cantores líricos convidados. 

A orquestra

Fundada no dia 20 de maio deste ano, a Orquestra Philarmônica de Uberlândia é composta por um núcleo artístico formado principalmente por músicos da cidade, com bases de uma orquestra de câmara com formação em cordas. É composta por 25 integrantes, sendo quatro violoncelistas, três violeiros, 15 violinistas, dois percussionistas e um pianista. 

A OPHU é uma iniciativa do Instituto Sergei Diaghilev, que atua há dez anos na conservação da dança e da música clássica, fomentando ainda o núcleo experimental da Ícaro Cia de Dança com o auxílio dos produtores Flávio Freitas e Glauco Fernando Cruz. O projeto tem o apoio da Secretaria de Cultura de Uberlândia e do Conservatório Estadual Cora Pavan Capparelli.zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz30-640x259

 Ficha técnica de ‘Terra’ e ‘Ar’ 

– Direção artística: Beatriz De Luca

Bacharel em Composição e Regência pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Estudou regência com Roberto Tibiriçá, Samuel Kerr, Abel Rocha e Jorge Salim. Participou de masterclasses de regência com Eric Whitacre (Estados Unidos), Sérgio Igor Chnee, Osvaldo Ferreira (Portugal) e Hans-Peter Schurz (Alemanha). Seus principais professores de composição e orquestração foram Flô Menezes, Abel Rocha, Edson Zampronha, Achille Picchi, Eduardo Escalante. Foi regente do Coro da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP), dos Coros Infantil e Juvenil do Colégio Móbile e do Allegro Coral e Orquestra. Já se apresentou frente a várias orquestras paulistas, como a Cameramusica Funac de Taubaté, a Jorge Salim, a Acadêmica da Unesp, a de Câmara da Unesp, a da Unicamp e da Sinfônica de Santo André, com a qual tem realizado, desde fevereiro de 2007, um trabalho como regente assistente. É co-autora de ‘O Regente sem Orquestra’, livro didático lançado pela Algol Editora em março de 2008. Recebeu quatro nomeações em duas categorias do Prêmio Cenym 2015, sendo premiada em ambas: Melhor trilha sonora adaptada e melhor canção adaptada pelo arranjo de ‘The Great Pretender’, ambos concedidos por seu trabalho musical como diretora musical do espetáculo Constellation, Uma viagem  musical pelos anos 50. Além deste espetáculo, Beatriz de Luca atuou como diretora musical assistente e regente titular em diversos musical, como Chaplin, Crazy for YouCabaret e Pernas pro Ar.

– Regente Convidado: Marcos Petrônio

Bacharel em Música pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) instrumento Violino. Iniciou seus estudos musicais no Conservatório Estadual de Música Cora Pavan Capparelli de Uberlândia (MG) concluindo o Curso Técnico em Violino. Pela Faculdade Paulista de Artes (SP) concluiu a Licenciatura Plena em Educação Artística – Habilitação em Música e pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) concluiu a Pós- graduação (Especialização em Música), instrumento Violão. Foi integrante da Orquestra Sinfônica da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (RJ), da Orquestra Jovem do Teatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ), da Orquestra Filarmônica do Rio de Janeiro (RJ) e da Orquestra de Música Brasileira (RJ) sob a regência do Maestro Roberto Gnatalli. Com a Orquestra de Música Brasileira (RJ) gravou um CD e participou de vários eventos e shows, dentre eles o Free Jazz Festival e Homenagem a Vinícius de Morais pela Fundação Banco do Brasil. É professor de violino e de música de câmara, violinista do Quarteto de Cordas Prelúdio e regente da Orquestra do Conservatório Estadual de Música Cora Pavan Capparelli. De 2000 a 2002, foi Professor de Violino no Departamento de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Atuou como diretor musical e regente dos seguintes espetáculos realizados pela Orquestra do Conservatório: Estudo-Cênico Musical ‘O Fantasma da Ópera’ (Lloyd Webber), ‘Carmen, quadros de uma ópera’, (G. Bizet), Concerto de Natal “Janelas Encantadas”, “A Noviça Rebelde” (O. Hammerstein II e R. Rodgers) e “A Bela e a Fera” (Alan Menken). Regente e arranjador do Festival de Cordas Nathan Schwartzmann, promovido pela Associação Pró-Música de Uberlândia e Conservatório Estadual de Música Cora Pavan Capparelli. Desenvolveu dois projetos pelo Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PMIC) da Secretaria de Cultura da Prefeitura Municipal de Uberlândia: “Projeto A Orquestra que toca Uberlândia” e “Projeto Concertando com a Orquestra”. É Regente Convidado da OPHU – Orquestra Philarmônica de Uberlândia desde a sua fundação, acumulando também o cargo de arranjador das obras executadas pela orquestra.

– Regente do Coro: Cyrene Paparotti

O quê: Concertos da Orquestra Philarmônica de Uberlândia

Quando: 10 e 11 de agosto, às 20h

Onde: Teatro Municipal de Uberlândia, que fica no endereço Av. Rondon Pacheco, 7070, bairro Tibery

Informações: (34) 99880-0707zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz59